domingo, 24 de novembro de 2019

Médico explica os três pilares do emagrecimento saudável e definitivo

author photo

Imagem ilustrativa

            Emagrecer é certamente um dos desafios mais comum na atualidade, onde a luta contra a balança está ligada a necessidade do paciente de se enquadrar num padrão estético,  mais também está relacionada a uma nova consciência, um estilo de vida regrado a dietas e atividade física, porém o problema é que nem sempre apenas a força de vontade é suficiente para todos.
Pesquisas feitas pela Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, mostram que até 80% das pessoas que emagrecem recuperam os quilos perdidos em um período de cinco anos. Em partes esse percentual pode ser comprovado diante da falta de responsabilidade e eficácia dos métodos escolhidos.
Entre as diversas possibilidades de enfrentamento, as causas mais comuns na dificuldade de emagrecimento podem estar ligadas à aos fatores hormonais, alimentação inadequada e a falta de exercícios físicos.
O Dr. Rodrigo Correia, médico que atua na área de emagrecimento e longevidade saudável, explicou a importância do conhecimento sobre a forma correta de emagrecer. “Emagrecer é uma coisa muito complexa, não é uma coisa simples que um chá da internet vai fazer resolver, é algo que envolve várias coisas no corpo humano, onde o primeiro passo é entender qual o motivo da pessoa ter engordado”, afirmou.
Enfatizando as aplicações devidas ao tratamento, Dr. Rodrigo também enfatizou a necessidade de um acompanhamento médico, e dividiu em três pilares a sustentação para o emagrecimento saudável e definitivo.
“O primeiro passo é o fazer um checkup e entender o que está acontecendo com a pessoa e quais os problemas que tem ocasionado o excesso de peso ou aumento da gordura corporal, onde é a partir dessa avaliação que se pode indicar os melhores caminhos a serem seguidos, é preciso entender o corpo de cada paciente para conseguir êxito no emagrecimento”, ressaltou.
Para a obtenção de perda de peso, após as devidas ressalvas clínicas, é necessário que haja uma sintonia nutricional entre o paciente e seu objetivo. Esse segundo pilar é referente a indicação de uma dieta que deve ser individualizada, referindo-se às necessidades específicas de cada um. Nesse processo são indicadas quais alimentos, suas quantidades e refeições diárias são necessárias.
Além de ser instituída essa alimentação, é provável que a utilização de suplementação ou terapia hormonal sejam também incluídas no decorrer do processo de perda de peso, tendo em vista o condicionamento no ganho de qualidade de vida obtidos em sua utilização. Essas práticas tendem a oferecer mais ânimo, disposição vital e sexual, auxílio no emagrecimento e otimização no ganho de massa.
Corrêa explica que o terceiro pilar é a prática de exercícios físicos, que auxiliam no emagrecimento, também ajudam a permanência do peso ideal e na prevenção de uma série de doenças, resultando em inúmeros benefícios para a saúde, e uma vida ativa mesmo na terceira idade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Proxima Proxima
Anterior Anterior