sexta-feira, 11 de maio de 2018

Skinbooster, hidratação injetável!

author photo

Imagem ilustrativa
Hoje em dia por conta da poluição e de outros fatores externos que aumentam o envelhecimento precoce, sabemos o quanto é necessário uma boa hidratação para garantir uma pele saudável, no entanto ainda temos algumas dificuldades de ultrapassar barreiras teciduais para obter um resultado satisfatório com hidratantes comuns.

No mercado atual existem diversas marcas de cosméticos que prometem uma hidratação profunda e de qualidade, são produtos de uso tópico que permeiam seus ativos através dos poros pela absorção natural. Estes ativos auxiliam na prevenção ao envelhecimento e rejuvenescimento, um dos que obtêm os maiores requisitos para garantir uma pele saudável é o ácido hialurônico. Por ser uma molécula de fácil alteração de peso e tamanho é muito utilizado para tratamentos estéticos. Ele também tem muita afinidade por moléculas de água o que contribui de maneira positiva para garantir a hidratação necessária que a pele necessita.

Até alguns anos atrás tínhamos apenas o uso deste produto por uso tópico, no entanto veio uma nova técnica para o mundo da estética que nos permite injetar o ácido hialurônico, skinbooster, diretamente nas células do tecido conjuntivo, com isso garantimos uma hidratação mais profunda e também o estímulo de colágeno, com maior aproveitamento do produto, pois não necessita de romper as diversas camadas de tecido para encontrar seu alvo, também não sofre perda por conta da produção de suor e por fim consegue realizar sua ação de hidratação e rejuvenescimento.

O skinbooster veio para revolucionar os tratamentos estéticos faciais, possibilitando ao paciente melhores resultados  em poucas sessões, sua ação é incomparável aos hidratantes tópicos de uso comum.


A aplicação é rápida, dura em média 20 minutos, sem necessidade de repouso após o procedimento, são necessárias em médias 3 sessões com intervalos de 28 dias, e uma manutenção a cada 6 meses para um resultado satisfatório. É uma técnica invasiva e portanto só deve ser feitas por profissionais habilitados, consulte um especialista.



Colaboração: Dra. Glaziane Cordeiro - biomédica esteta| Doutor TV em Revista!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Proxima Proxima
Anterior Anterior