domingo, 29 de abril de 2018

Hipnose e Hipnoterapia: O que são e como podem te ajudar?

author photo
Imagem ilustrativa
Para que você compreenda as respostas a estas perguntas é necessário que você primeiro conheça o modelo da mente que utilizamos na hipnose clínica. Este modelo subdivide a mente em 3 camadas: o consciente, o subconsciente e o inconsciente.

O consciente é uma camada que exerce quatro funções básicas: tomada de decisão, raciocínio, força de vontade e memória consciente. Basicamente, são as funções que usamos para o nosso cotidiano e para o nosso trabalho.

O inconsciente é a camada que regula as funções corporais como o sistema nervoso autônomo, o sistema endócrino e o sistema imunológico. Por isso, vemos que muitas doenças crônicas têm relação com problemas de saúde mental. Por exemplo, a evidência científica demonstra que as pessoas que sofrem de câncer e que têm depressão morrem mais do que as pessoas com câncer que não têm depressão.

Já o subconsciente é o responsável pelas emoções, pelo instinto de auto-preservação, pelos hábitos, pela imaginação e pela memória subconsciente. Esta última, guarda todos os eventos com relevância emocional que aconteceram na vida da pessoa desde a mais tenra idade. Estes eventos moldam as reações emocionais e os comportamentos que as pessoas terão ao longo de suas vidas.

Hipnose

A hipnose é um estado de consciência em vigília no qual a camada subconsciente toma a frente enquanto a camada consciente fica no pano de fundo. No estado de vigília comum é o contrário.

Dessa maneira, o estado de hipnose facilita o acesso e a reprogramação dos conteúdos do subconsciente como emoções, memórias, imaginação, hábitos e vícios.

Hipnoterapia

É a terapia que é feita com o paciente em estado de hipnose. Por ter acesso mais direto ao subconsciente do paciente, esta terapia costuma ser mais eficiente e mais rápida que outras. Diversas técnicas provenientes de várias escolas de psicoterapia podem ser utilizadas com sucesso, já que a hipnose funciona como um catalisador para qualquer técnica.

No entanto, a mais impressionante e associada com hipnose hoje em dia é a regressão.

A regressão é feita utilizando a emoção mais incômoda como uma ponte que nos leva até os primeiros eventos nos quais o indivíduo sentiu aquela emoção. É muito comum encontrar eventos anteriores a idade escolar dos quais a pessoa não se recordava conscientemente.

Indicações

Agora você já sabe que a  hipnoterapia é capaz de reprogramar o subconsciente. Este, por sua vez, influencia todos os componentes da mente. Dessa maneira, você deve imaginar que isto pode ser útil para uma muitos tipos de problemas.

Seguem algumas indicações separadas por dois grandes grupos:

Hipnose Clínica

Buscamos solucionar problemas psiquiátricos e psicológicos ligados a crenças, emoções e hábitos disfuncionais. Alguns exemplos: auto estima baixa, crenças limitantes, dificuldades de relacionamento, dificuldades no desenvolvimento profissional, timidez ou fobia social, fobias em geral, depressão, transtorno bipolar, ansiedade, transtorno do pânico, transtorno obsessivo compulsivo (TOC), bruxismo, gagueira, compulsão alimentar, bulimia, anorexia, temperamento agressivo, tabagismo, alcoolismo, dependência química.

Hipnose Médica

Buscamos solucionar ou melhorar problemas médicos ligados a desregulação do sistema endócrino, imunológico e neurológico. Exemplos: obesidade, enxaqueca, fibromialgia, dores crônicas com causa conhecida, asma, psoríase, doenças auto imunes, câncer.

Em alguns casos a hipnose resolverá totalmente o problema, enquanto em outros é claro que será necessário combiná-la com tratamentos biológicos. Para mais informações, procure um especialista no assunto!

Colaboração: Dr. Ivan Baremboin – Psiquiatra | Doutor TV em Revista!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Proxima Proxima
Anterior Anterior