quinta-feira, 15 de junho de 2017

Homem: Conheça a associação de tratamentos fisiológico e psicológico para tratar a andropausa

author photo
Imagem ilustrativa
Assim como as mulheres têm a menopausa, os homens também têm esse período fisiológico; chamado de andropausa. Ainda pouco divulgado, o assunto gera muitas dúvidas no público masculino, principalmente sobre os tratamentos nessa fase de transição. O tratamento convencional é a base de reposição hormonal e mudanças no estilo de vida, amenizando significativamente os sintomas e proporcionando mais qualidade de vida ao paciente.

A Dra. Lelah Monteiro - fisioterapeuta, psicanalista e coaching de relacionamento usa um método diferenciado no tratamento da andropausa, ela trabalha a parte fisiológica e psicológica dos pacientes. Ela falou conosco e contou como funciona essa terapia. Confira:


1. O que é andropausa?

É a diminuição na produção da testosterona, e por consequência diminuição de outros hormônios masculinos.

2. Quais são os principais sintomas da andropausa e o que acontece no corpo do homem?

Aumento da circunferência abdominal e diminuição da massa muscular, insônia, irritação, depressão, baixa ou diminuição do libido, dificuldade de ereção ou de mante-la, pouca ejaculação e demora para atingir o orgasmo.

3. Quando o homem deve se preocupar e buscar ajuda profissional?

Quando ele ou sua parceria começam a esboçarem insatisfação com a intimidade. Esse é um fator importante; assim como os sintomas físicos mencionados anteriormente.

4. Qual a importância da associação de tratamento psicológico e fisiológico?

Desta forma abrangemos a parte física e a emocional do paciente; obtendo uma melhora do quadro mais rápido, em função da dedicação do paciente ao tratamento, diferente de trabalhar apenas com a administração medicamentosa.

5. A senhora faz uma terapia que reúne várias técnicas, visando um tratamento mais abrangente, auxiliando o homem principalmente em relação a vida sexual no período da andropausa. Como funciona esse método?

Iniciamos com as terapias físicas: fisioterapia urológica e florais; e as psíquicas/emocionais: coaching de relacionamento e de vida intima. resgatando a autoestima e empenho do paciente.


6. Sobre a questão e estilo de vida e hábitos saudáveis qual é a orientação?

Hábitos saudáveis, como melhorar a alimentação, fazer atividade física ajudam, mas não solucionam a questão,com a fisioterapia urológica trabalhamos com exercícios específicos para a região genital masculina, esses músculos perineais não são estimulados com exercícios físicos realizados na academia ou parques.

Contudo, estar no peso ideal é bom,porém alguns homens tem carência de alimentação específica para aumentar a potencia.

7. A terapia é realizada em conjunto com tratamento clínico do paciente?

Sim, solicitamos que continue o acompanhamento clínico; acompanhamento do níveis hormonais adequados e demais tratamentos necessários.

8. Existe um período de tratamento estipulado em determinadas seções?

Em torno de 6 meses finalizamos o tratamento, muitos pacientes já nas primeiras sessões sentem grande melhora. A evolução é individual e depende também do quadro geral do paciente.

9. O paciente pode optar por manter o tratamento em secreto ou com a participação da parceira?

Sim, alguns preferem não falar, pois já estão sob muita pressão... Alguns trazem sua parceira para terapia em casal. Respeitamos a decisão do paciente, e trabalhamos da forma que ele se sinta melhor.

10. Finalmente, ainda existem muitos tabus? E o que muda na qualidade de vida do homem que se cuida e encara essa fase com consciência e naturalidade?

Sim, o homem ainda é muito fechado; tem dificuldade de um dialogo aberto. O homem mais moderno que se cuida tem a facilidade de detectar o problema no inicio e tratar antes de atingir mais complicações. A partir do momento que o paciente tem consciência e está aberto ao tratamento, este homem começa a produzir mais no trabalho, torna-se seguro de si e criativo, fica bem humorado, diminui o stress e tem uma vida sexual melhor.

'Eu até brinco, e passo a chama-los de clientes e não mais de pacientes; pois mudam da água para o vinho, vencer os preconceitos é fundamental para viver mais e ser feliz'. Concluiu a Dra. Lelah, se referindo aos homens que vencem os tabus e buscam ajuda profissional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Proxima Proxima
Anterior Anterior